Tratamento quiropraxico

A avaliação consiste em determinar se existe uma subluxação ou não na coluna. Após a avaliação o quiropraxista determinará quais ajustes serão necessários no tratamento para corrigi-lá.

Definição de subluxação: é a condição em que uma vértebra perdeu sua perfeita justaposição com uma vértebra acima ou abaixo, ou ainda, com as duas simultaneamente. Tal alteração não tem a extensão de uma luxação, mas pinça nervos e interfere na trasmissão dos impulsos nervosos do cérebro impedindo assim o perfeito funcionamento do organismo.

 

PROCEDIMENTO

O ajuste quiropráxico é a aplicação de um impulso, normalmente com as mãos, especialmente direcionado e desenvolvido objetivando desbloquear uma articulação ou uma vértebra fixada, a qual retornará ao movimento e se alinhará novamente à coluna.
Existe uma variedade de métodos usados na quiropraxia para analisar e ajustar a coluna.

O quiropraxista escolherá a técnica mais efetiva para cada indivíduo, levando em consideração constituição física, idade e qualquer outro problema de saúde que possa haver; também procurará fazer com que o ajuste seja o mais confortável possível.

 

É possível o auto-ajuste?

Em regra, não.

O som produzido não é a mesma coisa que o som de uma ajuste. As vértebras que produzem sons quando você se move, ou gira o pescoço, as costas e os quadris, são aquelas que usualmente não precisam ser ajustadas, pois são hipermóveis.
Isto ocorre quando algumas vértebras estão fixadas e perdem ou diminuem a mobilidade (hipomobilidade); assim, outras vértebras para compensar esta deficiência ficam com excesso de mobilidade (hipermobilidade).

Manipular vértebras que já estejam hipermóveis pode propiciar um alívio temporário, mas não traz nenhum benefício àquelas que necessitam de ajustes. Veja fotos do tratamento.

 

FASES DO ATENDIMENTO QUIROPRÁTICO

Para que se obtenha um bom resultado, principalmente em situações de crises agudas, um atendimento quiropráxico envolve três fases:

Primeira Fase - Atendimento Intensivo

Concentra-se, primeiramente, em aliviar a fase aguda. É planejada para reduzir a maioria do desconforto e estabilizar o cliente no mais curto espaço de tempo possível. Esta fase requer necessariamente visitas mais freqüentes, com a finalidade de eliminar ou reduzir ao máximo o quadro.

Segunda Fase - Recuperação

Uma vez completado o atendimento intensivo, inicia-se a recuperação. Nesta fase, é estabelecido um programa baseado na correção das fixações vertebrais e no fortalecimento muscular, restaurando assim as funções vertebrais, otimizando o restabelecimento de tecidos e órgãos. As visitas são menos freqüentes e o atendimento é complementado por orientações ao cliente, as quais poderão ser seguidas em sua vida diária, incluindo, algumas vezes, exercícios e mudanças de hábitos.

Terceira Fase - Manutenção

Terceira e final, é planejada para manter a evolução que foi conseguida e prevenir que haja um retorno à condição original, uma vez que as correções necessárias foram conseguidas.

Observação: Muitas pessoas acreditam erroneamente que uma única ou poucas visitas seriam suficientes para a solução de seu problema; mas esta é uma visão irreal, pois muitos fatores influenciam nos resultados e cada organismo reage de maneira diferente.